... nas minhas caminhadas, ontem os doendes deitaram flores à minha passagem. Eles sabem como eu os invejo. Gostava de viver naqueles boraquinhos das árvores. Autênticas vivendas!

 

Abr,06 011.JPG

 

Belas flores selvagens

 

Fui ver nascer os fetos e, pelo verão fora, tentarei assitir ao seu crescimento.

 

Abr,06 037.jpg

 

Fetos crescendo a velocidade de cruzeiro. Como este

 

Acabou de furar e já canta glórias a Apolo.

 

 

Abr,06 043.jpg

 

 Feto acabado de nascer

 

Há meia dúzia de dias passei ali de propósito para os ver e não havia nenhum. Também estive na conversa com a filhota da Vanessa. Ela ainda pousou nos fetos secos por onde sua mãe esvoaçava e me esperava.

 

Abr,06 057.jpg

 

Estes fetos quando verdes e depois já secos, suportaram a mãe Vanessa e agora a sua filhota já linda como ela.

 

 

Mas a filhota da Vanessa tem uma companhia. Esta lagartixa que também quis saudar o Ventor.

 

Abr,06 036.jpg


Uma lagartixa

 

Quando procurava a existência de uma possível cobra apareceu saída do chão esta lagartixa no local que nunca mais será o mesmo que eu encontrei em 2004. Vão faltar ali as minhas dedaleiras para embelezar a filhota da Vanessa. A única dedaleira que nasceu ali, este ano, já foi cortada por algum parasita humano. Daqueles que acham que Deus existe só para ele.

Sagres, a beleza dos mares que enfeita o rio Tejo para alegrar o Ventor, nas suas caminhadas

tags:
publicado por Ventor às 08:56