Os três. Eu, o Quico e a Senhora da cama 24. A Senhora da cama 24 já regressou à cama nº1.

Está ali encostadinha a comer um pero vermelho. Vermelho com as cores do seu Benfica. Também para comer coisas com as cores do meu Porto, não tem grandes hipóteses. Neste momento, nem com arandos azúis se safa. É que o azul é pouco mas é muito bom. Seja como for, é bem melhor estar sossegada em casa do que no desassocego dos hospitais. Eu sei que ela adora as pessoas que tentam fazer coisas e todos tentaram fazer coisas por ela.

Dizemos mal da nossa «saúde» mas as pessoas esfalfam-se para conseguir resultados e a senhora da cama 24 não é mal agradecida. Tinha um médico que nos disseram ser muito bom e que a iria operar no Hospital das Descobertas. Mas ela não gostou dele. Eu percebi porquê, mas nada de mal para esse médico. Sei que é um grande ortopodista. Ela foi à procura de outro e achou-o o ideal e foi! Nunca a largou!

Sarnou-o para a deixar vir embora e só hoje ele a olhou nos olhos e disse: "vá lá"! "Vá para casa, mas" ... Um bom médico, nos pareceu. Tenho a certeza que fez tudo o possível para tudo correr bem. Mas isto ainda não acabou. Ainda há muita confusão, muitos escolhos na nossa caminhada. A todos que se preocuparam com a senhora da cama 24, obrigado pelos e-mails enviados. Tudo de bom para vocês. A senhora da cama 24 manda beijinhos para todo(a)s e agradece.

Marc,01.jpg

Uma papoila no meio das ervas do Quico, para a Clínica de Stº António na Reboleira com um grande obrigado. 

 

Sagres, a beleza dos mares que enfeita o rio Tejo para alegrar o Ventor, nas suas caminhadas

tags:
publicado por Ventor às 19:00