Hoje, um dia de chuva, pela manhã, substituiu o dia de sol de ontem, para ir até à Piriquita, em Sintra, beber o café e comer um travesseiro. Foi o desafio dos avós do Tomás, prontamente aceite pelo vosso amigo Ventor e pela dona do Quico. Ontem, levantei-me tarde e atirei-me aos pastéis de Belém!

 

Fotos de uma passeata pelos arredores de Sintra

 

Depois fizemos a travessia da serra (por meio do nevoeiro) directos à Quinta do Pé da Serra e viramos, rumo a Colares, para irmos comprar umas coisas boas, como alhos, cebolas, feijões, outros legumes e laranjas à feira de produtos agrícolas, de Almoçageme.

 

 

Uma rande encruzilhada

 

Claro que eu atirei à vendedora a possibilidade de muitos daqueles produtos serem espanhóis e ela, apressadamente, me respondeu que ela não era espanhola mas eu, com toda a certeza, não a tomei como um produto com interesse negociável, quer espanhol quer da região de Sintra.

 

A verdade é que espanhóis ou não, os produtos costumam ser bons. Pelo menos acho que ainda não nos sentimos lesados quanto á qualidade dos mesmos.

 

Os chamados produtos da sub-região de Colares

 

Depois, regressamos a casa abastecidos do que nos interessou e eis-me agarrado como o Robin dos  Bosques a uma bela perna de carneiro assada no Forno, preparada pela avó do Quico e por ele, que se arma em fiscal da cozinha, assim como um elemento da ASAE, que, por acaso, estavam presentes na feira de Almoçageme e sem cigarrilha! Chefe é Chefe!

 

Mas diga-se de passagem que o Chefe ASAE fez muito bem fumar a cigarrilha na entrada do ano, lá pelos estorís, porque chamou a atenção para a gente desarrumada que teve a sorte por uma série de votos estúpidos de fazer leis para nós. Mas isso é outra história!

 

 

Belas abóboras! Estas, como muitos outros produtos, devem ser dali

 

Para desanoviar deste tempo invernoso que só me faz sono, fui tirando essas fotos, pelo caminho, que vos deixo aquií, não pela sua beleza ou para demonstrar as minhas capacidades fotográficas, mas apenas para vos lembrar que os dias feios se podem tornar bonitos e que as praias não são só boas no verão. Vale a pena ver o mar e dar um passeio pelas praias mesmo em dias tristes como o de hoje. Muita falta faz o meu amigo Apolo! Mas, como sabemos, quando a sua presença é em demasia, também se torna prejudicial, como nas secas. Essa é a razão porque, de vez em quando posso abdicar da sua companhia e caminhar a compasso das musas das chuvas.

Sagres, a beleza dos mares que enfeita o rio Tejo para alegrar o Ventor, nas suas caminhadas

publicado por Ventor às 00:02