A beleza de uma caminhada ...

 

 

... mesmo em frente do nariz!

Olhar, pensar, meditar, ... sobre aquilo que temos em frente do nariz!

Mas hoje, 18 meses depois, mesmo não sendo uma caminhada natural, mesmo sendo com o apoio de uma "limusine", já deu para descer e subir alguns degraus e para olhar, cumprimentar e dar algo aos amigos do Quico - pão e bolacha de aveia.

 

Se o Quico estivesse no seu miradouro teria observado tudo e teria vindo à escada contente receber a sua dona que, com algum sacrifício, tentou acompanhar o Ventor numa pequenina caminhada.

 

Mas não foi mau! Foi ver os amiguinhos do Quico, sentir a alegria da sua presença, dar-lhe algo e sentir a tristeza de não ter o Quico a observá-la. Foi uma caminhada curta mas foi uma caminhada de esperança.

Queiramos ou não, continuamos a chorar pelo Quico, o nosso companheirinho de 12 anos e de muitas alegrias.

 

Mas vimos a família Pingas (os cisnes), os patos, os pombos e, para azar do Ventor, não estavam lá as netas da Izabelinha, a bela família das galinhas d'água. Sumiram completamente! Mas também, num domingo cheio de gente, não seria de esperar outra coisa.

Que as ninfas das águas e dos rios, as protejam!

Sagres, a beleza dos mares que enfeita o rio Tejo para alegrar o Ventor, nas suas caminhadas

publicado por Ventor às 21:03