Eu sou um conjurado!

Eu sei que fui, que sou e que serei, se for caso disso, sempre um conjurado!

 

    

 

D. João IV, à esquerda e a sua proclamação, como 22º Rei de Portugal, à direita - imagens tiradas da minha amiga Wiki

 

Não vou falar aqui da história da Revolução de 1640, não vou falar aqui de D. João IV, não vou falar aqui da Duquesa que disse que valia mais ser Rainha um dia que ser duquesa toda a vida.

Não vou falar aqui das grandes batalhas, nem da teia bélica que, então, enrolou a Espanha para que os nossos "iluminados" conseguissem os seus objectivos.

 

Não. Nada disso! Todos vocês devem saber isso! Uns mais, outros menos mas, com maior ou menor desenvolvimento, todos sabemos!

Aqui, apenas quero recordar e que, os menos atentos, recordem, também, que foi apenas uma guerra de 28 anos e que lhe chamaram a Guerra da Restauração, pois ela restaurou a Nação Portuguesa.

Por isso, o objectivo deste post é homenagear todos aquels que contribuiram para a nossa Restauração, como Pátria independente.

 

Olá, Duque de Bragança! Uma vez, a brincar, cheios de jenica e de força, disse-me que "era" "Rei"! Eu respondi-lhe que o "Rei" era eu. Só podia haver um rei e esse seria eu. Mas depois de tudo o que temos visto, se isso resolvesse o problema do descalabro por que passamos, oferecia-lhe de bom grado, a minha "Coroa"!

 

Viva Portugal!

 

Sagres, a beleza dos mares que enfeita o rio Tejo para alegrar o Ventor, nas suas caminhadas

publicado por Ventor às 14:48