Nas minhas caminhadas, também há muita tristeza e não é só natureza e alegria nas observações dos meus trilhos.

 

"Acho que tenho de pedir a compreensão dos portugueses para a necessidade destas medidas e não desculpa", afirmou Teixeira dos Santos em entrevista à SIC.

 

Estes homens não prestam mesmo! Digo eu!

 

Há dias, um homem que, por acaso ou má sorte, é primeiro ministro de Portugal, dizia a uma deputada que não estava lá escrito no PEC o aumento do IVA e sei lá que mais.

"Viu senhora deputada? Está lá escrito isso, senhora deputada"?

A conversa de sempre!

Teríamos todos nós e essa deputada, a garantia de que esse tal 1º Ministro de Portugal, não iria aumentar o IVA.

Deu, aldrabando, à simplicidade dos portugueses, a ideia de que não iria aumentar os impostos e, no caso concreto, o IVA.

Eu ouvi, na Televisão, esse senhor 1º Ministro, todo escamado, a mentir com todos os dentes, que não aumentaria o IVA!

 

Mas, eu não tenho dúvidas de que a crise é profunda. Eu, por exemplo, seria incapaz, nas mesmas circunstâncias do senhor Primeiro  Ministro, de dar a minha palavra a essa deputada, ou a qualquer outro, de que não aumentaria o IVA ou quaisquer impostos.

 

Eu, teria dito, com toda a convicção, a essa senhora deputada, ou qualquer outro, que não tinha a mínima ideia de aumentar o IVA mas, atendendo às circunstâncias nacionais e internacionais de crise, nunca sabemos o dia de amanhã.

 

O que aconteceu, entretanto, depois dessa conversa, para virar o bico ao prego?

 

Nos últimos 15 dias tudo se agravou, diz o senhor  Ministro das Finanças! Se calhar, foi porque o 1º Ministro deu a sua garantia!

 

Mas os portugueses são um povo cheio de glória. Eles têm um 1º Ministro que sabe tudo e sabem que ele tem a tabuada muito bem estudada. Até é engenheiro e tudo e os senhores engenheiros, devem saber, pelo menos, a tabuada!

 

Poderia escrever aqui tanta coisa, desde que o PS ganhou as eleições há alguns anos. Se calhar até podia contar tantas das mentiras que os portugueses, benévolos, como são, já esqueceram, mas que eu não esqueço e, então, o nariz do senhor primeiro Ministro e do seu ministro das finanças, iriam para o Guines.

 

Peguei só na última e, mais ainda, pela arrogância do ministro das Finanças em fazer esta afirmação:

 

"Acho que tenho de pedir a compreensão dos portugueses para a necessidade destas medidas e não desculpa".

 

Mas eu acho que o ministro das finanças está equivocado!

 

Têm-me dito e eu tenho ouvido, por aí, que o ministro das Finanças era um bom professor. Até poderá ter sido um bom professor, mas pelo que tenho visto como ministro, tenho muitas dúvidas que tenha sido um bom professor!

 

Mas sabe o que lhe digo senhor ministro das Finanças.

 

«Acho que tenho de lhe pedir a compreensão, para a minha crítica porque eu compreendo a necessidade destas medidas mas também compreenderia muito bem, o seu pedido de desculpas, bem como as do seu chefe, ao povo português. E porque também acho que os portugueses, nós todos, somos como os "rafeirinhos" que só "ladram", porque, se mordessem mesmo, vocês já não estariam no poleiro há muito tempo. Vejam lá se eles não abrem a boca e começam às dentadas»!

 

Por isso, acho que vos ficava bem um pedido de desculpas, pelas asneiras que têm feito a governar este país!

Ou vocês não se enxergam!

Sagres, a beleza dos mares que enfeita o rio Tejo para alegrar o Ventor, nas suas caminhadas

tags:
publicado por Ventor às 23:19