.. num dia lindo, no rio Jamor, em Queluz!

 
 

Era exactamente igual a este guarda-rios, um alcedo atthis, foto de Lukasz Lukasik, tirada da Wikipédia, sob licença GFDL

 

Ontem, caminhando por Queluz, tirei a dúvida.

Às vezes, não é fácil tirar dúvidas!

Porém, desde que metamos uma coisa na cabeça, é sempre possível esperar o momento para tirar as dúvidas todas. Ontem, fiz uma pequena caminhada por Queluz, o jardim de Queluz e em redor do Palácio.

Fui visitar os meus amigos do rio Jamor, em Queluz e passei pelo belo Palácio e, quando caminhava sobre o Jamor que passa por baixo do Palácio e dos seus belos jardins, dirigindo-me para o carro e rumar a casa, observei o rio e, tentei descortinar a bicharada que por lá andaria. Encontrei um pássaro lindo e preparei a máquina para o tentar captar para a minha colecção.

 

 

Ele cá está, o Martim Pescador, como muitos lhe chamam - o Guarda-Rios! Hoje é a 4ª vez que vejo um guarda-rios, em cerca de um ano. Mas este parou! Parou longe, mas parou! Foi pena foi ter parado à sombra. Por ficar longe e na zona escura, foi a foto que consegui arranjar e estes rios não são nada adequados para fotografar guarda-rios. Têm muito mato em volta e esta seria a melhor zona. Provàvelmente, nunca mais o verei nestas condições, não fosse tão longe

 

Ao apontar a máquina, vi passar, rio abaixo, o que mais me parecia, outra vez, uma "flecha" azul. Um azul muito vivo e bonito. Pousou um pouco longe e, para meu azar, do lado da sombra. Enfim, estragou a minha sagacidade em encontrá-lo com a máquina em boa situação para a foto. Infelizmente, não deu para a foto que queria! Era longe de mais e na escuridão da sombra!

 

 

 

Estas belezas, foram tiradas da Wikipédia, pintados por um especialista - vejam como eles são lindos!

 

Mas deu para tirar conclusões!

 

Um dia, já há cerca de um ano, caminhava eu na ribeira da Falagueira e, do meio dos salgueiros, em pleno rio, passou, debaixo dos meus olhos, uma "flecha" azul vivo, rio acima. Só tive tempo para apontar a máquina e não para disparar. Fui no encalço da ave, mas nunca mais a vi! Outra vez, na Primavera passada, na ribeira que atravessa o jardim de Miraflores, outro pássaro semelhante. Há cerca de um mês, exactamente, no mesmo local, em Miraflores e, nas mesmas condições, passou, mais uma vez, a "flecha" azul.

Mas hoje, em Queluz, acabou-se a dúvida! A "flecha" azul, não era nada mais, nada menos que um guarda-rios!

 

 

Ainda deu para uma segunda foto! Devido à lonjura do Martim Pescador, só pretendia que as fotos me confirmassem tratar-se de um guarda-rios e esse obejectivo foi conseguido. Agora, só me resta a esperança de o apanhar em melhor situação e, para isso, vou ter de dar corda aos sapatos, junto das ribeiras e do rio Jamor!

 

Ao ver essa "flecha" azul, virei-me para o passado. Penetrei no nosso rio de Adrão, em Arriba dos Moinhos e fui descendo o rio, até ao Curral das Cabras. Nesses tempos, nunca vi essa minha linda "flecha" azul de cima para baixo. Via-o sempre à minha frente e, sempre por trás. Estas quatro vezes que o vi por aqui, vi-o sempre de cima para baixo, numa cor azul belíssima. Eu nas margens cimeiras e ele, sempre a voar, junto à água, sobre as ervas e arbustos.

 

 

Este vídeo tirado do Youtube, serve para todos aqueles que não conhecem bem, o Sr. Guarda-Rios, apreciarem melhor a beleza desta ave linda - o alcedo atthis ou guarda-rios comum

 

Agora, falta-me o melro d'água, a toupeira d'água e a cobra d'água para, tal como o guarda-rios, me certificarem que os riachos da minha zona, estão mesmo despoluídos. Hoje, para mim, o Guarda-Rios, o Martim Pescador e mais 23 nomes que lhe dão por aí fora, passou a ser, sem dúvida, meu companheiro de caminhada. Agora só me falta fotografá-lo como eu gostaria para que a companhia se torne mais perfeita!

 

 

Em cima de um galho seco, para não terem ramas a estorvar-lhes a visão e ei-los a penetrar na água e pescar o seu peixe

 

Ficarei no seu encalço!

Sagres, a beleza dos mares que enfeita o rio Tejo para alegrar o Ventor, nas suas caminhadas

publicado por Ventor às 01:04