Árvore de Natal.

 

Uma Árvore de Natal, não precisa de bolas, de fitas, de presentes pendurados, de luzes coloridas.

 

Uma Árvore de Natal, não precisa de estrelinhas, de anjinhos, de sininhos, de pinhas … Uma Árvore de Natal, pode ser assim como eu”! Despida de folhas, despida de flores, despida de preconceitos.

 

Uma Árvore de Natal pode aparecer vestida de uma névoa branca, aquecida pelo calor dos primeiros raios solares da manhã que a faz sorrir para quem passa.

 

 
Eu sou, este ano, a Árvore de Natal do Ventor - ele pediu-me para, à vossa passagem, vos desejar um BOM NATAL

 

Eu sorri todo o ano para o Ventor! Sorri durante o Inverno, durante a Primavera, durante o Verão e agora, durante o Outono e preparo-me para sorrir, para o Ventor, no Inverno que se aproxima e, por diante, durante o tempo que os homens e as intempéries me deixarem.

 

Lá por trás, escondidos pela névoa matinal, estão os pinheiros do Parque Florestal de Monsanto!

Verdinhos, vistosos, cheios de pinhas e, por aqui, um pouco afastada da margem de uma estrada sem saída, fico eu, especada a ver passar o tempo e as pessoas, a ver passar as perdizes, os coelhos, os estorninhos e demais passarada. Daqui observo tudo.

Enquanto o Ventor brincava com as perdizes, com os coelhos, com os pintarroxos, com os melros, com os estorninhos, com os rabirruivos e, demais bicharada, durante este ano de 2011, eu observava a sua alegria de estar entre estes amigos. Durante o ano, o Ventor viu nascer os meus rebentos, crescer as minhas folhas. Viu eu tornar-me velha, neste meu ciclo que passou, ano fora.

 

Em meu redor, o Ventor viu nascer e crescer flores lindas, como os malmequeres, as margaridas, as papoilas, … miríades de flores e, eu, aqui, quase solitária, observava como o Ventor as fotografava, como ele as acariciava, sem nunca me excluir daquela beleza que é o seu mundo Natural. Por isso, eu perguntei ao Ventor se este ano já tinha feito a sua Árvore de Natal. O Ventor disse-me que não e mais uma vez tirou-me uma foto, comigo despida. Depois disse-me: «sabes, numa casa com doentes, não há vontade de fazer uma Árvore de Natal. Estou farto de fitas!

 

Este meu Natal, serás tu e a Família»!

 

 

Nós somos companheiros das Caminhadas do Ventor - Ele pediu-nos para virmos junto de vós e desejar-vos um BOM NATAL

 

Seguiremos o Ventor e a sua árvore. A Árvore que representará todas as árvores de sonhos do Ventor!

 

«Este ano, vais ser tu a minha Árvore de Natal, presente no meu espírito. Como enfeite, terás a névoa branca cinzelada pelos raios do nosso amigo Apolo, ficarás assim, no meu espírito, até ao dia 7 de Janeiro de 2012 e serás tu a portadora da minha mensagem de Boas-Festas para todos os meus amigos. Vamos dar liberdade à nossa alma, este Inverno. Se estiverem dias bonitos e eu conseguir aparecer por aqui, virei visitar-te e, juntos, continuaremos a sonhar com os desgraçados deste mundo e a desejar, a todos eles que, o Senhor da Esfera se esforce um pouco mais para com eles todos. Os estorninhos que há pouco estavam pousados sobre ti e que eu não consegui fotografar devido às perdizes, serão os espalhadores da nossa boa nova!

 

Assim, o mundo ficará a saber que tu serás, este ano, a Árvore de Natal do Ventor e que desejamos a todos que o brilho de Apolo, seja o brilho da sua bela Luz para todos os nossos amigos, com o pão e a saúde».

 

Com Árvore ou sem Árvore, umas Boas-Festas para todos os nossos amigos.

Sagres, a beleza dos mares que enfeita o rio Tejo para alegrar o Ventor, nas suas caminhadas

publicado por Ventor às 22:12