... uma das 7 Maravilhas.

 

Corcovado!

 

O Corcovado é a base sobre a qual se levanta imponente, a estátua do "Cristo-Rei", ali mais conhecido como o Cristo Redentor e que tem uma altura de 38 metros sobre aquele belo morro, a quem os primeiros portugueses, quando chegaram ao local a que hoje chamamos Rio de Janeiro, olhando-o, lhe deram o nome de Pináculo da Tentação"!

 

 

O Corcovado

 

Mais tarde, por razões que escaparam ao vosso amigo Ventor lhe vieram a chamar - morro do Corcovado!

 

Mas o que realmente interessa, é que 36 anos depois da sua inauguração (12 de Outubro de 1931) numa Direcção da Força Aérea Portuguesa, na Av. António Augusto de Aguiar, em Lisboa, em 1967) eu e os meus amigos, companheiros de trabalho, tivemos uma conversa sobre as actuais (na época) belezas do Mundo e o Cristo Redentor já fazia parte delas!

 

 

Uma manhã, cheguei ao Café Monumental, na Av. Fontes Pereira de Melo, juntinho ao Saldanha, e olhei para a Papelaria desse café e vi uma revista que já não recordo o nome que resolvi comprar. Entrei, e enquanto comia o meu croissant recheado e bebia o meu café, fui desfolhando essa revista, na qual, por qualquer razão, vinha uma foto da Catedral de Chartres. Levantei-me e segui para a DSCTA (Direcção dos Serviços de Telecomunicações e Tráfego Aéreo) onde decorreu normalmente o meu trabalho da manhã.

 

À hora do almoço, sentei-me numa secretária, no Gab. dos Srs. Major Mota Martins e Major Costa e, enquanto conversávamos (éramos sete), o Sr. Major Costa, tirou-me a revista das mãos para folhear e quando topou com a foto da Catedral de Chartres, pegou no tema da conversa que eram as maravilhas conhecidas do Mundo Antigo. Virou-se para mim e disse apontando a foto: «sabes Ventor, que esta é, para mim, uma das primeiras maravilhas da actualidade? Para mim, do que conheço, há neste momento, no nosso mundo, três maravilhas, que são: a Cateddral de Chartres, a Baía de Luanda e a cidade de Rio de Janeiro com o Cristo Redentor»!

 

«Não acredito que haja nada mais lindo que abraçar, desde o Corcovado, toda a cidade do Rio de Janeiro, do que ver um pôr-de-sol na Baía de Luanda, ou apreciar a Catedral de Chartres e os seus fabulosos vitrais. Claro que há outras coisas lindas para ver neste mundo e entre elas as cidades de Lisboa e de S. Francisco. Mas há uma coisa em que tenho pensado e cada vez me convenço mais disso. Das cidades que conheço, as que eu mais gosto são, Rio de Janeiro, Lisboa (a nossa Lisboa) e S. Francisco».

 

«Para mim, as cidades de Lisboa e S. Francisco foram feitas pelas mãos dos homens e a cidade de Rio de Janeiro foi feita pelas mãos de Deus! E tudo indica que sim porque, à chegada, chamaram-lhe Vera Cruz e agora tem o Cristo Redentor a abraçá-la»!

 

 

O Cristo Redentor e Rio de Janeiro - foto envida por Any

 

Tudo isto já foi há 40 anos, mais ou menos como eu o descrevo! Hoje não sei dos Majores Costa e Mota Martins, nem dos outros, mas sei que por esse mundo fora, mesmo não votando, haverá muitos majores Costas e muitos de nós que estarão de acordo sobre todo o sistema que compõe a beleza intrínseca do composto Corcovado, Cristo Redentor e Rio de Janeiro. E acho que os brasileiros deverão estar, estarão concerteza, orgulhosos das suas belezas e muito, de certeza, da sua 7ª Maravilha.

 

Claro que haverá muitas maravilhas que nem propostas foram para votação e muitas delas já faladas no meu tempo em que usava a águia. Ainda um dia destes, deitado num hotel em Léon, com um pequeno fulheto na mão, lia o que os espanhóis me diziam sobre Léon, e a sua Catedral e tomei nota desta referência. Uma das maiores e mais antigas catedrais da Europa com 1.800 m2 de vitrais, os mesmos que a Catedral de Chartres.

 

Para terminar, deixo aqui os meus parabéns a todo o Brasil pela sua 7ª Maravilha deste nosso mundo.

Sagres, a beleza dos mares que enfeita o rio Tejo para alegrar o Ventor, nas suas caminhadas

publicado por Ventor às 00:58