Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Caminhadas do Ventor

Pelos Trilhos da Memória

As Caminhadas do Ventor

Pelos Trilhos da Memória

maidens.jpg

 

Como sabem, o Ventor saiu das trevas para caminhar entre as estrelas.
Ele continua a sonhar, caminhando, que as estrelas ainda brilham no céu, que o nosso amigo Apolo ainda nos dá luz e que o nosso mundo continuará a ser belo se os homens tentarem ajudar..


23.12.06

Feliz Natal


Ventor

Bom Natal e Bom Ano Novo, para todos.

Árvore de Natal do Ventor

Daqui, ao lado da minha Árvore de Natal, eu vos contemplo, a todos, especialmente a todos que, desgastando energias, andam hoje pelas minhas Montanhas Lindas. Sim, para vós, rapaziada do UM PAR DE BOTAS.

Nem sabem como estou roído de "inveja", por não vos poder encontrar na Pedrada. Por náo poder respirar esse ar gelado!

Para todos vós uma bela caminhada seguida de um Bom Natal na companhia daqueles que mais querem.

Para todos os outros, nem sabem o que perdem não poderem acompanhar o UM PAR DE BOTAS, pelas minhas Montanhas Lindas.

Quero aqui deixar bem expressos os votos de um Feliz Natal e um Próspero Ano de 2007, para companheiros de outros tempos, e de outras caminhadas - Os Duros do Niassa, meus companheiros de Guerra!

Para todos vós um grande abraço do Ventor. Alguns já têm passado por aqui outros não. A todos vós eu trago no coração e nunca vos esqueço. Duros do Niassa, sempre!

Para todos, na companhia do azevinho,

Azevinho de Sintra

um Santo Natal.

Casa Velha.jpg

A casa velha, implantada na serra do Cercal, debruçada sobre o rio Mira

09.12.06

Com «Um Par de Botas»


Ventor

Subir à Pedrada ...

... com «Um Par de Botas»?

Alto da Pedrada - Olá, Luis!

Não com um par de botas, botas mesmo, mas com a rapaziada que se organizou num Clube de grandes e belas caminhadas, chamado «Um Par de Botas».

Para essa tarefa, a minha companheira de caminhadas, comprou-me um par de sapatos Camel e a tempo de ainda os ensair na serra da Mira, para caminhar a vosso lado sem bolhas. Foi uma guerra entre os outros sapatos e botas! Nunca mais me meto noutra. A culpa foi da minha mulher, pois deve ter entendido que eu iria levar uns sapatos novos e ficaria, com os pés cheios de bolhas e, por isso, farto da Pedrada.

Estes querem levar o Ventor à pedrada

Mas ela meteu água, porque já devia saber que eu nunca iria estrear uns sapatos novos nas minhas Montanhas Lindas.

Infelizmente, a minha coluna não me deixa ir rumo ao Norte com a certeza que posso iniciar e acabar essa bela Caminhada ao lado da rapaziada do «Um Par de Botas». Para mim, noutras circunstâncias, seria a "peace of cake", sair daqui no dia 22, dormir em Arcos de Valdevez e, no dia 23 arrancar para Adrão e fazer o «Trilho do Ventor». Depois descer da Pedrada pelo mesmo Trilho, pegar o carro na Coroa, beber um café nos Arcos, dar dois ou três abraços, à pressa, e rumar a Lisboa!

Mas, pendurado nas minhas desgraças lombares, não poderei ir convosco à Pedrada. Os meus "tempos de guerra" já acabaram. Só, de vez em quando, com a ajuda do Senhor da Esfera, poderei fazer uma escaramuça ou outra.

No entanto, caso vocês consigam caminhar pelas minhas Montanhas Lindas, no dia 23 de Dezembro, eu estarei convosco, em espírito. Marco encontro no Alto da Pedrada e pelos Trilhos do Ventor, correrei no Poulo do Muranho e no Poulo da Corga da Vagem tal como o mais puro garrano nascido, entre os fetos e as carquejas nas minhas Montanhas Lindas e, quer vocês estejam quer não, por lá andarei, "Against the Wind"! "Against the Wind"! "Against the Wind"!

Faça sol, faça neve ou faça chuva, eu caminharei, sonhando, a vosso lado, "against the wind".

Para mim seria uma novidade e uma alegria subir à Pedrada convosco a 23 de Dezembro. Tenho a certeza que em nenhum inverno passei do Poulo da Ferrada para cima, no términus da Naia, onde se inicia a subida para o Muranho.

Poulo e Cortelhos do Muranho

Porém, se algum de vocês ler este meu post, não vos aconselho a subirem o Muranho devido às urzes queimadas na subida a seguir ao Poulo do Muranho, rumo à Serrinha, embora agora estejam lavadas pelas chuvadas outonais.

Como já disse num comentário, no vosso Blog, seria uma maravilha subir à Pedrada e voltar a descer da Pedrada pelo Muranho mas, se vocês estão habituados a caminhar por trilhos, na encosta do Muranho, o trilho é a toda a largura e cada um por si ou numa fila de cágados. Se me fosse possível ir convosco, marcaria encontro na Pedrada e seria essa a encosta que eu faria e, caso ainda andem por lá lobos (talvez se escondam nas fragas da Brusca), aposto que eles me olhariam e diriam uns para os outros: «só pode ser o maluco do nosso irmão Ventor»!

E, enquanto caminhasse nas minhas Montanhas ventosas e geladas, eu continuaria cantando, porque as levaria no meu espírito, as canções de Bob Seger: «Fire Inside» e «Against the Wind». Já há muito que não apanho uma ventania no Alto da Derrilheira! A propósito, se subirem à Pedrada pelos lados do Mesio-Travanca, podem fazer mais um pouco da vossa caminhada, descer da Pedrada à Corga da Vagem e dirigerem-se ao Alto da Derrilheira, por cima de Adrão, pois vale a pena avistar dali todas as minhas Montanhas Lindas e, se alguns de vós não as conhecem, nunca mais as esquecerão.

Alto da Derrilheira

Daqui podemos espreitar a maior parte das minha belas montanhas, 360 º em volta

Boa caminhada amigos, pelas minhas Montanhas Lindas.

 

Casa Velha.jpg

A casa velha, implantada na serra do Cercal, debruçada sobre o rio Mira